Community and SocietyMobility

Como comprar e quanto custa um iPhone usado

Furtaram meu iPhone 3GS 32GB na festa de aniversário fechada da minha filha. Fiquei chateado, principalmente porque usava até o último recurso do aparelho de forma muito produtiva.

Decidi comprar outro, desta vez no Brasil mesmo, mas eu tinha um complicador: minha linha é corporativa. Isso significa que minha conta tem tarifas muitíssimo baixas, tanto que no longo prazo não compensaria abandoná-lo e mudar para outro plano que incluísse iPhone. Linha corporativa significa também que não acumulo pontos, coisa que é usada pelos mortais para trocar por aparelhos melhores [e, nas letras miudas do contrato, por mais fidelidade com a operadora].

Então fiquei com as seguintes alternativas:

  1. Entrar numa loja qualquer (Vivo, TIM, Claro, FastShop, etc) e comprar um aparelho sem plano, com o preço cheio.
  2. Usar os pontos de algum parente que não se interessa por ter um iPhone e assim conseguir um preço melhor. O problema é que nenhum parente tinha pontos acumulados ou se enquadrava nesse tipo.
  3. Comprar um iPhone usado.

Optei pelo usado, mas onde encontrar e quanto seria o preço justo a pagar por ele? Logo percebi que essa última pergunta tem uma reposta nebulosa e complicada. Mas o raciocínio é simples:

Paga-se por um iPhone 3GS 32GB novo (modelo top hoje em dia), na caixa, nacional mas desvinculado de operadoras, 1 ano de garantia, com meu nome na nota fiscal, na Fast Shop, R$2159. Este é o preço da etiqueta (R$2399) menos 10% depois de negociar bastante, e é o preço mínimo que a loja pode chegar. Atravessando a porta da loja após comprá-lo, ele vale de 20% a 25% menos. Isto é uma lei do mercado, bem conhecida no ramo de automóveis principalmente.

Ou seja, um iPhone 3GS 32GB (modelo top hoje em dia) seminovo, nacional mas desvinculado de operadoras, uns 360 dias de garantia restantes, com o nome de outra pessoa na nota fiscal, não pode custar mais do que R$1673 (R$2159 menos os 22.5% do “saiu da loja”) e quem paga mais está inflacionando o mercado.

iPhones importados devem custar menos ainda pois não há como obter e acionar a garantia aqui no Brasil e não são oficialmente desbloqueáveis (só via jailbreak e unlock — estupidamente considerado crime pela Apple —, se estiver disposto a ir por esse caminho tortuoso).

Nem preciso dizer que no Mercado Livre há gente tentando vender aparelhos por bem mais do que um novo da loja. Mas isso é normal para um objeto de desejo que costuma distorcer a percepção do mercado, tanto para quem compra quanto para quem vende. Bem, não vamos cair nessa porque somos informados.

Mesmo assim, no Mercado Livre encontrei uma boa oferta de um vendedor particular honesto. Negociei o valor e fechamos por R$1500. Seu iPhone é da Vivo (a operadora do meu plano corporativo também), ótimo estado, tinha nota fiscal, uns 8 meses restantes de garantia, todos os acessórios perfeitos, caixa original, desbloqueado oficialmente pela Appel a pedido da Vivo.

Diga-se de passagem, gostaria de dizer que é um porre negociar pelo Mercado Livre porque eles exigem que se faça tudo por escrito ali no site. Uma negociação que aconteceria em 20 minutos por telefone mesmo, pode demorar até 2 semanas naquele esquema. Sugiro ao Mercado Livre melhorar isso e permitir às pessoas se comunicarem diretamente. De outra forma, os usuários acabam dando um jeito de usarem o CEP como meio de passar o telefone para entrarem em contato e quebrarem as regras do site, que são muito chatas.

O que observar na hora da compra

Eu não compraria de um desconhecido seu iPhone usado para recebê-lo pelo correio. A coisa certa a fazer é marcar um encontro na loja da operadora do vendedor (no caso de um iPhone nacional) pois assim pode-se verificar desbloqueio, nota fiscal etc.

Com o aparelho em mãos, observe e teste o seguinte:

  1. Aparencia externa. Riscos no plástico de trás e no vidro.
  2. Cheque se todo os acessórios estão aí: carregador, cabo de dados, agulha de metal que abre a gaveta do cartão SIM, guia de referência rápida, fones de ouvido.
  3. Entre em Configurações►Geral►Sobre e veja se o IMEI é o mesmo que aparece na nota fiscal.
  4. Veja se o nome e CPF que aparece na nota fiscal é o mesmo que está na carta de transferência (veja carta abaixo).
  5. Teste todos os botões físicos: principal redondo em baixo, os de volume e o de vibrar na lateral e o de ligar/desligar em cima.
  6. Todos os pixles da tela devem acender. Teste algumas aplicações e observe bem.
  7. Multitoque, por exemplo, fazendo zoom na aplicação de mapas ou browser.
  8. Acelerômetro, que faz a tela girar conforme o aparelho é virado. Use o browser ou a aplicação de fotos para isso.
  9. Sensor de GPS deve ser testado ao ar livre com a aplicação de Mapas. Ele funciona bem quando o círculo azul semi-transparente fica muito pequeno ou desaparece (as vezes demora alguns segundos para isso acontecer) e quando a bolinha azul forte marca no mapa exatamente a posição em que você está. Erro maior do que 5 metros ao ar livre não é aceitável.
  10. Sensor de sentido ou bússola. Gire o aparelho ao usar a aplicação Bússola que deve apontar mais ou menos para o norte.
  11. Faça e receba ligações testando o fone, o microfone e coloque em viva voz também para testar os alto falantes.
  12. Veja se o aparelho nunca foi molhado olhando no fundo do buraco do fone de ouvido. Deve estar branco. Se estiver vermelho ele foi molhado.
  13. Para testar a porta de conexão USB, se possivel, conecte o aparelho num computador e veja se é ao menos reconhecido como câmera. Não é nessário sincronizar com iTunes.
  14. Fones de ouvido, ambos os lados, microfone e os 3 botões (de volume e auxiliar) que ficam no fio.
  15. Tire fotos e veja-as em seguida.
  16. Faça filmes e assita-os em seguida.
  17. Ative o WiFi e tente navegar na Internet. Se você estiver num lugar público urbano deve ao menos aparecer uma lista de pontos de acesso.
  18. O desgaste da bateria é importante mas não há como testar isso rapidamente.

Para que você possa usar a garantia, requisitar desbloqueio oficial no futuro etc, além do aparelho, acessórios e nota fiscal, o vendedor precisa também entregar a seguinte carta (adapte as partes em vermelho para o seu caso) com a assinatura dele reconhecida em cartório:

Eu, NOME DO VENDEDOR, RG 123.456.789-0, CPF 987.654.321-0, declaro que transferi a posse e propriedade do aparelho móvel Apple iPhone com IMEI 1234567890 para NOME DO COMPRADOR, RG 123.456.789-0, CPF 987.654.321-0.

Assinado:____________________

NOME DO COMPRADOR

Na loja da operadora, mostre a nota fiscal e esta carta e confirme com o funcionário da operadora de que tudo está em ordem e que não haverá problemas no caso de você — novo proprietário do iPhone — precisar acionar a garantia.

Depois de tudo isso acertado, curta seu novo iPhone !

15 comments to Como comprar e quanto custa um iPhone usado

Leave a Reply

  

  

  

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>