Desventuras no Condomínio

Como esta história causou muita repercussão entre meus amigos. E como todos quiseram ouvir mais detalhes, resolvi publica-la na íntegra na Internet.

Certo dia recebi esta carta formal de meu condomínio:

Do
CONDOMINIO EDIFICIO DONA TUDINHA SALLES
Ao
Sr. Avi Alkalay

Prezado Senhor:

Gostaríamos de comunicar-lhe que foram inúmeras as reclamações que recebemos, devido ao barulho advindo de seu apartamento, até por volta das 3 horas da manhã desta segunda-feira.
Não bastasse a rotina (sempre após as 22h quando já vigora o horário de silêncio) , de sua secretária eletrônica, que é ligada em alto volume para que o Sr. tome conhecimento de seus recados, e de suas constantes invocações a Deus, seu encontro amoroso deste final de semana extrapolou, em muito, o bom senso, o que causou indignação àqueles que residem mais próximo, incluindo aí, pessoas idosas e pais de crianças que foram acordadas com tanto “ruído”!.
Sabedores que somos de sua vontade de colaborar para o bom andamento do condomínio, solicitamos que haja mais ponderação por parte de V.Sa. para que incidentes desta natureza não voltem a ocorrer e, desta forma, retorne o clima de boa vizinhança.
Na certeza de suas providências, agradecemos.

Atenciosamente_____________________
Síndica

E minha resposta

Excelentíssima Sra. Síndica,
Excelentíssimos Srs. reclamantes do outro apartamento,

Gostaria de ter a oportunidade de me explicar perante a surreal carta que recebi.Minha secretária eletrônica fica no quarto de fundo, onde não há nenhuma janela, e a casa é toda acarpetada (o que abafa muito o som), e isso me leva a crer que para que seja ouvida em outro andar, o som para mim deveria ser ensurdecedor, o que não acontece.
Quanto aos meus “encontros amorosos”, entendo que isso não deva interessar a absolutamente ninguém. Não me agrada saber que este assunto seja comentado entre funcionários e outros moradores do prédio. Mesmo assim, posso garantir que acontecem em tons de doces sussurros, e não incomodariam quem estivesse no quarto ao lado.
Quanto as minhas invocações a Deus, sou membro de uma seita neo-illimânica que estipula uma diretriz para faze-lo em alto e bom som, para que a energia possa chegar as alturas e alcançar os ouvidos do Todo Poderoso. Estarei repensando outras técnicas de faze-lo sem incomodar os que estão geograficamente próximos a mim.
Quanto a música que ouço, tento faz-lo sempre que estou em casa. Não posso evitar, pois a música é cor, é a minha vida. Mas novamente estarei ciente para faze-lo num volume inversamente proporcional ao horário.
Quanto a outros “ruídos”, sou uma pessoa muito ativa, participante de diversas frentes de trabalhos e pesquisas avançadas. As idéias jorram em horários inesperados, e isto causa movimentação. Não posso evitar de pensar alto e caminhar em minha própria casa.

Vale lembrar que várias vezes recebi reclamações interfônicas sobre ruidos que não eram meus. Num deles estava tomando banho, com o som desligado. Num outro já estava dormindo, e fui obrigado a acordar para atender o interfone.

Fecho pedindo mil perdões por quaisquer incomodos que causei, e levando a certeza que as próximas reclamaçõees – se houverem – serão bem embasadas, lúcidas, respeitosas, e principalmente de bom senso, garantindo o excelentíssimo relacionamento entre todos nós.

Aberto para qualquer conversa,

_______________________________
Avi Alkalay, ap. 114
8/04/2001

OBS: Favor enviar cópia aos reclamantes

E a história começou a gerar interesse pela seita Neo-Illimânica…

7 thoughts on “Desventuras no Condomínio

  1. Seita Neo-Illimânica

    Prezado Seu Galinha, digo, seu Ave, digo seu Avi,(Avimaria, que nome mais complicado!)

    Como é que eu faço para entrar na seita neo-illimânica?

    Creio que minha família reúne os quesitos necessários e gostaría de poder matricular todos ao mesmo tempo (não existe um desconto por atacado?). Minha única dúvida é saber se o Moysés também pode entrar, já que o Shlô já mia em alto e bom som acordando todos os vizinhos e a mim mesmo no meio da madrugada, mas como creio que ele também está invocando os ‘euses dele (o ‘eus da “comida farta” e do “me afaga que eu gosto”), respeito seus altos gemidos.

    Aliás, se precisar de companhia, avise-me que posso arrendar este bichano para ficar zanzando por aí e você nem precisará mais se preocupar com o volume de seus susurros. Caso seja preciso enviar carta com o requerimento de ingresso na seita, eu pedirei para minha síndica, Dna. Tudinha, que sempre tem tudinha os modelos de cartas para qualquer eventualidade que aconteça em nossa vizinhança.

    Aguardo sua carta-resposta
    Do fiel sem seita,

    Cymbalêu

  2. Re: Seita Neo-Illimânica

    Caríssimo Seu Cymbalêu, aspirante espiritual,

    Atendendo a suas requisições, venho indicar-lhe o melhor caminho para atingir o nirvana ingressando na Seita Neo-Illimânica.

    Não há taxa de matrícula, pois grana mesmo só é cobrada nessa religiões furadas tipo Evangélica. Basta atender aos seguitnes pontos:

    1. Proclamar centenas de vezes por dia e por noite, a citação “Ai Meu Deus!!” em falsete e em alto e bom som. Nos casos do Shlô e Mô, é permitido que saia um pouco fanho.
    2. Abolir completamente a ingestão de carne de qualquer origem, sendo permitido somente o suculento filé de sereia.
    3. Gostar do grupo chileno de Música Andina chamado Inti-Illimani.

    Aderidos os citados hábitos, considerem-se Neo-Illimânicos, e em nosso próximo encontro comprimentaremo-nos com o sonoro “Ai Meu Deus!”.

    Quanto aos sussurros, um Shlomito por perto iria abafa-los, o que é interessante, visto que próximas reclamações não seriam tão desconcertantes.

    Certo de sua adesão,
    Agradeço vosso interesse,
    Avi

  3. Condomínio

    Queridos Avião e Fabia-não-mais-atolada:
    “Tudinha” nos conforme com o condomínio, aí vai meu parecer jurídico:

    Acho que tudo não passa de intriga da oposição, uma vez que a síndica na verdade é um travesti chamado Nadir (e apelidado carinhosamente de Nadica-di-nada) e está enciumada da relação do condômino gatinho (um verdadeiro Avião) com o gay que mora ao lado (que baseou a película “A garota do lado”).

    A síndica, Mrs. Little Every, não conseguindo imprimir às suas evocações a Deus o mesmo ‘agudo-tom-de-soprano’ do condômino (o que lhe rendeu uma recusa nas cerimônias da seita Neo-Ilimânica), ardeu de ciúmes e resolveu armar este barraco.

    A solução jurídica mais adequada ao caso proposto, após esta breve introdução hermenêutica, é pleitear aos Tribunais a possibilidade de o condômino Avião unir-se em sagrado matrimônio com seu vizinho. Ato contínuo, a síndica não terá mais argumentos contra os sussurros noturnos, posto que os mesmos estarão consoantes aos desígnios divinos.

    Ciente de ter colaborado com suas angústias, despeço-me com o mais cordial: “AAAAAAAI, MEU DÊÊÊUSSSSSSS!!!!”

  4. Re: Seita Neo-Illimânica

    Prezado, Ai meu Deus!, Guru,

    Já estou na busca do Nirvana e levo comigo meus agregados. Eles, mais do que nunca, se sentem honrados em fazer parte desta comunidade (pelo menos é o que meu analista interpretou depois que eu imitei a resposta do Shlô à minha indagação!).

    Dos 3 requisitos creio já ter atingido 2:

    1.1.a – Sou adorador do inti-illimani, e antecipando um próximo estágio rumo ao sacerdotício (ou ao meretrício) já subi no próprio Cume do Illimani, no alto de seus 6.409 m.
    1.1.a.Paragrafo único Lá, inclusive pude constatar quais as flores que no cume nascem e os ventos que no cume sopram.

    2.1.a – Já começo a proclamar as tais sagradas orações, principalmente ao receber e-mails de discípulos da seita. O Moysés até que tentou mandar um, mas acho que ele se distraiu tentando caçar o pointer do mouse na tela e não disse nada com nada.

    3.1.a. – O único problema é o filé da sereia. Como não tenho muito tempo para procurá-lo, (tenho tempo apenas para responder e-mails!) coloquei os maiores interessados nisso atrás desta peça saborosa e ainda desconhecida da nossa vã religião.
    Shlô e Moysés estão famintos atrás do santo Filé, repetindo insistentemente: Graaaal!, Graaaaal! enquanto eu ainda tento dormir. (Na interpretação do meu bom analista, Graaal, significa “Ai meu Deus”! em gatês).

    Sinto agora novos ares, novos tempos chegando. Meu coração se ilumina e meus dedos dos pés sangram…sai Shlô, que eu não sou filé de Sereia!

    Agradeço imensamente a possibilidade de iniciação, ó eterno guru!

    Saudações neo-illimânicas,
    Cymbalêu iniciado

    p.s. Ai meu deus!

  5. Mais uma do Condomínio

    Estou enviando copia da mensagem juridica da Dra Paula Mandel para meus familiares, visto que ja participam de tal forum de discussao ha 2 dias. Por favor, queiram ler a mensagem da advogada abaixo da minha.

    Avidesesamo: estamos todos do seu lado e do lado do seu Deus. Quando vc precisar fazer barulho, e so chamar, iremos todos juntos, cada um levando algo que faca barulho (minha irma e o Ale levarao os gatos, a Paula poderia levar o Woody que tb nao e fraco, e eu, nao tendo bichos de estimacao, posso levar o instrumento musical com o qual tenho mais afinidade, o Triangulo). Creio que desta forma asseguraremos, uma nova carta de reclamacao, que nos propicie tanta diversao nas tardes de segunda e terca feira.

    Enquanto isto nao acontece, convoco a todos que pensemos num meio de promover o impeachment da D. Tudinha.

    Eleicoes ja no edificio!

    Podemos provar que a D. Tudinha nao esta cumprindo de forma etica seu trabalho. Proponho lancarmos a candidatura do Avilao, sob o pseudonimo de D. Surdinha com o seguinte slogan: “eu nao escuto os susurros alheios, eu trabalho”. O vice da chapa poderia ser o vizinho gay utilizando o nome de guerra: ” D. Mudinha” com o slogan: “eu nao falo, o que ele nao escuta, eu trabalho”.

    O logotipo da campanha poderia ser os tres animais que podemos disponibilizar: um gato com as maos tampando as orelhas, o outro com as maos tampando os olhos e por fim o poodle da Paula tampando a boca.

    That´s all, folks,
    Fabriguicadetrabalhar

  6. Interessante… Sou proprietario indireto de uma unidade no edificio e em breve estarei me mudando.

    Nada mais inusitado que ler cartas como essas na internet alardeando os “perigos” de se morar num condominio de nome tao assustadoramente cafona.

    Nos veremos na rotina enquanto nos corredores no edificio. (a partir de agosto de 2009)

  7. Huahuahuahuahuahua
    Fantástico!
    Isso é mto típico dessa gentinha que não tem nada pra fazer. A síndica do meu prédio adora fazer fofoca sobre tudo o q acontece. Ela não trabalha e o marido largou-a uns anos atrás (nem ele aguentou). Ou seja, só lhe resta tentar controlar a vida dos outros.

Leave a Reply

Your email address will not be published.