Não Subestime as Pessoas

Alguns anos atrás, quando era mais idealista e ingênuo, recebia projetos para executar que tinham sido arquitetados por outras pessoas.

Eu era também muito sabichão e achava que havia a forma correta para fazer as coisas. Com toda essa pompa, certamente achava vários defeitos nesses desenhos. Na verdade achava eles uma droga. Era inaceitável que alguém pudesse fabricar um trabalho de tão baixa qualidade, e ficava nervosíssimo porque era eu quem tinha que executar.

Claro que achava que se estivesse no lugar do projetista, teria desenhado muito melhor, mais bonito, e mais barato.

Bem, cuidado com o que você deseja porque um dia pode te-lo.

Aconteceu que mudei de lado, e virei “desenhista”. E dos piores, porque fui com aquele sentimento de “agora eles vão ver coméqueé”. Mas, também descobri coisas incríveis.

O lado de lá da moeda — também conhecido como área de vendas — era cheio de incertezas. Lidar com clientes — coisa que não fazia do lado de cá — é um processo sujeito a diversas forças, tanto técnicas (as mais fáceis de mitigar), políticas, estratégicas, e de escassez de recursos que nunca me ocorriam, chamados tempo e dinheiro. Só o fato de ter-se produzido um desenho de projeto, por mais tosco que seja, já era uma vitória, tamanha as dificuldades no meio do caminho.

Quantas vezes subestimei as pessoas e suas inteligências quando via algo que rapidamente julgava como erro grosseiro, mas logo depois era informado de situações que forçavam ser aquela a única saida. Não estou falando de conseqüências futuras, mas do que as pessoas são capazes de fazer com os recursos que elas tem hoje, somados a suas experiências anteriores. De qualquer forma, futurologia é uma ciência que não existe.

É muito fácil julgar e criticar ações alheias. É bem mais dificil colocar-se na posição e situação da outra pessoa. Hoje prefiro pensar que alguma idéia simples e óbvia que acabei de ter para resolver uma guerra alheia, um projeto difícil, ou um impasse em que não estou metido, provavelmente já foi concebida por quem vive aquilo todo dia, e só não foi adotada porque havia um conjunto de forças desfavoráveis para tal.

Não que as pessoas tenham que parar de ter idéias sobre os problemas alheios. Só precisam fazê-lo quando não estiverem arrotando sabedoria, e com um certo senso de humildade.

2 thoughts on “Não Subestime as Pessoas

  1. ¨Não que as pessoas tenham que parar de ter idéias sobre os problemas alheios. Só precisam faze-lo quando não estiverem arrotando sabedoria, com um senso de humildade.¨

    Grande verdade!
    Bem vindoa valeta 🙂

  2. Texto lindo.
    Tive que comentar porque realmente está muito bom.
    A todo tempo, dá pra se refletir que vc não quer deixar a mensagem de
    “coisas do trabalho”, e sim, “coisas da vida”.

    Pura verdade.

Leave a Reply

Your email address will not be published.