Imigrante

O Brasil é um país de Imigrantes.

Gente que veio para cá cheio de esperanças em começar uma vida nova, de nações destruidas por preconceito, guerra, ou pela mão escravagista. Trouxeram sua cultura, sabores e música, muita música, para fazer do Brasil a colcha de retalhos colorida que é.

O Memorial do Imigrante em São Paulo revive tudo isso de forma muito emocionante. Na anual Festa do Imigrante, que acontece neste e no próximo final de semana, enche a casa conosco, seus descendentes.

Memorial ontem e hoje

Chorei emocionado, quando ví uma das fotos antigas que mostrava toda aquela população humilde esperando sua vez para oficialmente entrar num país “onde haja muito sol e que se possa correr livremente”, segundo o depoimento de uma romena.

Era como se toda a esperança daqueles imigrantes tivesse saltado da foto, atravessado os tempos e me invadido por inteiro. Foi incontrolável e tocante. Senti a mesma coisa na entrada do pavilhão do Brasil na Expo 98 de Lisboa, onde havia uma foto enorme de um capoeirista.

São Paulo de toda genteDepois desse pranto a exposição teve um tom especial. Eu já era todo emoção e outro momento forte foram os bonecos de pano de tamanho real, vestidos tipicamente e segurando suas bandeiras.

A quantidade enorme de gente que veio prestigiar a festa tratou de liqüidar com a comida da maioria das barracas de comidas típicas das nações. Menos da Itália, que tinha estoques sem fim de canelone, nhoque e pastiere. E a Tati observou que isso era a prova que os italianos sempre cozinham para um batalhão. Coisas de sabedoria irreverente dessa descendente de imigrantes italianos e poloneses.

Haviam também apresentações de danças típicas de diversos países. Tudo muito colorido, marcando cada retalho da colcha. Você descendente ou nativo, não deixe de visitar.

Eu sou brasileiro. Por ironia do destino não nasci no Brasil. Sou imigrante de corpo, porque minha alma sempre foi daqui.

11 thoughts on “Imigrante

  1. A verdade é que fronteiras, nações e etc são ilusórias e foram riscadas a giz. Somos todos cidadãos do mundo, apesar de quererem nos dividir.

  2. Semente, isso é uma utopia.

    Por mais que tenhamos a sensação de “cidadão do mundo” que a era do tecnologia nos deu, tendemos a ter conexões emocionais com a nossa casa, nossa família, nosso povo, nossa cultura, nossa língua.

    Talvez daqui a 1000 anos essa sua visão se concretize. Alguma dia vai, tenho certeza.

  3. não entedir sobre fronteiras,mas tenho conciencia que os imigrantes vao para outros paises,ou seja,atravesam froteiras para ter uma vida bem melhore de boa qualidade para ajustenter-se…

  4. bom eu tenho orgulho de ser brasileiro pq eu sou fiel ao meu pais e meu estado e minha cidade
    mas me diz q ñ tem orgulho de ser brasileiro
    pq eu respondo com, muito orgulho
    eu tenho orgulho de ser brasileiro!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Leave a Reply

Your email address will not be published.