Como a IBM gradativamente abandona o MS Office

Aqui na IBM um funcionário troca de laptop mais ou menos a cada 4 anos. Minha última troca foi em novembro e recebi um ThinkPad T61 com CPU dual core, 2GB RAM e 120GB em disco. Uma maravilha de máquina.

Em termos de software, o computador já veio com Windows XP Pro, Lotus Notes, MS Word+Excel+PowerPoint 2002 e outros softwares que funcionários usam no dia-a-dia. O funcionário pode optar por instalar Linux, reparticionando ou não, com suporte interno. Pode também instalar aplicativos pré-homologados e pré-customizados de um repositório interno que chamamos de ISSI.

Symphony logoO Lotus Notes que usamos agora é a 8.0.1, que inclui o Symphony, suite de escritório baseado no OpenOffice.org e que nativamente lê e grava documentos no formato ODF (textos, planilhas e apresentações).

Semana passada recebemos um comunicado interno dizendo que novos computadores não terão mais o MS Office instalado. Caso o funcionário precise, terá que justificar e disparar um pedido de compra.

O Symphony é agora a suite de escritório oficial interna na IBM, globalmente. Significa também que o formato padrão de documentos é o ODF e formatos antigos como DOC, XLS são suportados como legado.

Por enquanto acredito que muitas pessoas vão justificar a compra do MS Office mas sempre serão a exceção. Como ODF é o porto seguro de formato que todo funcionário consegue abrir, o MSO será usado somente em casos especiais.

16 thoughts on “Como a IBM gradativamente abandona o MS Office

  1. A um bom tempo utilizamos ODF no meu projeto aqui no IBM, mas isso foi uma iniciativa nossa mesmo, motivados pela paixão pelo Open Source. Eu apresentei ODF para a BAM (quem paga as contas) do projeto e ela achou muito interessante, ai treinei todo mundo na utilização do Open Office (na época não havia o Lotus Symphony), e foi só alegria!
    Como a ordem vem “de cima para baixo” agora, com certeza veremos a adoção aumentar e muito!
    Ótima iniciativa que me deixa orgulhoso de trabalhar na IBM. 🙂

  2. Acho que só existem duas justificativas para o uso de MS Office atualmente:

    1. Compartilhamento de arquivos com outros usuários que usam MS Office. Tem arquivos que simplesmente teimam em não serem convertidos corretamente. Sorry.

    2. Alguma função bastante específica que só exista no MS Office (algo como os SmartArts do Office 2007, por exemplo)

    Embora tenha o Office 2008 instalado, só o utilizo em casos excepcionais (vide acima, especialmente o #1), preferindo o iWork.

  3. É isso mesmo Roberto.

    Acredito que com o tempo, os funcionários que precisarem comprar o MX Office o farão principalmente para compartilhar arquivos com outros usuários do MS Office.

  4. Acredito que não somente a IBM como outras empresas de peso estarão fazendo a mesma coisa em um futuro nada distante. Fico feliz de ler noticias como essas.

  5. É gratificante ler este tipo de notícia e de comentários. Principalmente tendo a IBM participando deste tipo de processo.

    Parabéns !!!!

  6. Muito legal a iniciativa, mas o Symphony sinceramente não presta. Consome uma quantidade incrível de memória, possui uma série de problemas dependendo do jvm que você estiver utilizando, ele teima em formatar certos emails de um jeito bem próprio, etc.

    Prefiro ficar na tripla: OpenOffice+Pidgin(Sametime)+Thunderbird.

  7. Pingback: chuza.org

Leave a Reply

Your email address will not be published.